TRENDING NEWS

recent

Mono - "Requiem For Hell" Review


Calma... que não é todos os dias que fazemos uma análise a um álbum novo dos Mono. Não é porque a banda japonesa tornou-se uma espécie de coqueluche da música quase pesada, é apenas porque gostamos mesmo muito daquilo que fazem. A capacidade com que a sua música consegue mexer e transmitir emoções é lendária, pelo que estávamos muito expectantes em relação ao seu nono álbum de originais. Tendo por base conceptual a "Divina Comédia" de Dante - algo que foi surgindo naturalmente conforme as músicas foram sendo escritas - este é mais um trabalho que nos mostra o porquê de gostarmos tanto de pós-rock, mesmo quando o género se viu afogado por propostas sem talento que se limitaram apenas a mostrar guitarras com reverb exagerado em melodias aborrecidas.

Nunca foi o caso dos Mono e continua a não ser, como se pode verificar nestas cinco músicas, onde as melodias batem-nos directamente no coração, como a música de abertura "Death In Rebirth" tão bem mostra, indo em crescendo, até que se torna quase insuportável. A sua música sempre foi muito cinematográfica - levando ao ouvinte a criar imagens, não propriamente imagens sugeridas, mas imagens suas, muito suas que se tornam ainda mais fortes com a música a dar-lhes energia. Aquilo que notamos em relação ao trabalho anterior, é que temos novamente a secção de cordas a acrescentar mais elementos dramáticos ao contrário daquilo que ouvimos antes, que foi visto e sentido mais como um retorno às raízes.

Teremos que destacar o tema título, um épico com quase vinte minutos, que é a peça central deste trabalho e que é realmente a grande pérola do mesmo, embora, como um todo, "Requiem For Hell" é um álbum extremamente consistente e criminosamente curto. Depois de termos um álbum duplo dos Mono parece que algo inferior a uma hora já não satisfaz. O lado positivo é que existe uma coisa fantástica chamada "repeat", que nos permite voltar ouvir novamente. E não é só o álbum, são as próprias músicas em si. Quando acabam, sentimos que deveriam continuar, que ainda queríamos mais, o mesmo sentimento que se tem quando se gosta muito de um filme e não se quer que o fim chegue.

Tal como a vida em si, tudo tem um fim e é precisamente esta uma das razões deste trabalho ser excelente, o tema do álbum estar tão bem explícito no trabalho em si. A ideia de se ser incompleto mas ao mesmo tempo de nos sentirmos completos com esta falta, com esta perfeição. Não é um álbum imediato embora seja paixão à primeira audição, ou seja, será impossível à primeira captarmos a totalidade das emoções que aqui passam, apesar de consistir em estruturas aparentemente simples, mas imediatamente fica-se rendido à sua inegável beleza. E é por estas coisas que nós andamos nisto, é isto que nos desperta a paixão pela música.

1. Death In Rebirth
2. Stellar
3. Requiem For Hell
4. Ely's Heartbeat
5. The Last Scene
Duração 46:03

2016 Pelagic Records  

Nota 9.7/10



Tags

Related Posts

Review

Sem comentários:

Enviar um comentário

Imagem
World Of Metal
World Of Metal - Zine, Radio and TV - Support Us On Patreon!

World Of Metal - Zine, Rádio e TV - Apoie-nos no Patreon!

random
World Of Metal. Com tecnologia do Blogger.